PNEUAÇO

RODAS PNEUMÁTICAS x ESTEIRAS DE BORRACHA

Para melhor conhecer as potencialidades do rodado com pneus e do rodado com esteiras de borracha, reproduzimos a seguir, resultados e comentários de testes realizados pelo Centro de Pesquisa de Máquinas Agrícolas, de Alberta, no Canadá, ao compararem o desempenho de tração de vários modelos Challenger, com tratores com tração nas quatro rodas (4x4) em várias condições de solo. Nesses testes foram medidas a potência no motor, a potência na barra de tração, a velocidade de deslocamento, a patinagem e a qualidade do conforto para se locomover. Diferenças bem definidas foram encontradas entre os dois tipos de rodado. Resumidamente, as esteiras de borracha ganharam em força de tração, na facilidade de otimizar o desempenho do sistema de tração e mostraram um leve ganho na eficiência de produzir potência útil, enquanto que os pneumáticos ganharam no controle para esterçar e no custo global. O conforto para se deslocar, foi semelhante para ambos.

A Figura 1 permite clara visualização de resultados obtidos com um Challenger 65 (270 cv) e um trator 4x4 (270 cv) equipado com rodado duplo (oito pneus radiais) ambos pesando 14,5 t.

A respeito de força de tração como se vê na Figura 3, a curva de desempenho proporcionada pela esteira de borracha sobe acentuadamente para pequenos níveis de patinagem enquanto que a curva do rodado pneumático aumenta gradualmente sobre uma larga faixa de patinagem, sem alcançar altos valores para a relação força de tração/peso. Os autores comentam que a esteira de borracha pode realmente desenvolver mais força de tração que o pneumático, mas que isso não é o mais importante. Na maioria das operações agrícolas, a potência na barra, que é o produto de força vezes a velocidade de deslocamento, é que conta. Embora ambos os sistemas tenham tração para desenvolver 200 cv de potência na barra a velocidades acima de 8,0 km/h, a capacidade de tração adicional das esteiras de borracha em desenvolver 200 cv a velocidades tão baixas quanto 5,0 km/h não é uma grande vantagem, uma vez que a maioria das operações agrícolas é realizada a velocidades maiores.

Considerando-se como otimização do sistema de tração a seleção do peso e do arranjo adequado de pneus para uma dada condição de trabalho (velocidade, força, condição de solo), o uso de um trator no seu ponto ótimo proporciona melhor desempenho e custo de operação menor. Otimizar um trator com rodado pneumático para uma dada velocidade, força de tração e condição de solo pode requerer mudanças na lastragem e na pressão de inflação. Uma vez que envolve planejamento, medições e manuseio de lastros pesados, é freqüente que isso seja feito apenas uma vez para o trator. Assim, o trator com pneumáticos pode nem sempre estar na configuração ótima para a condição de trabalho do momento. Com esteiras de borracha, não há pressões nem lastros para trocar.

A Figura 2 mostra que as esteiras de borracha desenvolvem máxima potência na barra ao longo de uma faixa maior de velocidades, do que os pneumáticos. Isto significa que no trabalho diário as esteiras conseguiriam liberar mais potência, porque elas mantêm cerca da mesma eficiência a despeito de mudanças nas condições de operação, o que é uma grande vantagem. Os pneumáticos, entretanto, apresentam outro problema que as esteiras não têm. Sob carga, em algumas situações, os tratores com pneumáticos têm a tendência de apresentar “power hop”, que é aquele movimento de “pular/saltar” enquanto está tracionando. E, ajustar o trator para reduzir esse problema pode afastá-lo da sua condição ótima. 

Quanto à eficiência da liberação de potência na barra, pequena diferença foi encontrada entre os dois sistemas de rodado avaliados . Ambos alcançaram eficiências máximas similares (cerca de 80%) só que em níveis de patinagem diferentes. Além disso , as esteiras de borracha mantiveram sua eficiência sobre larga faixa de tração e condições de solo.

Fonte: grupocultivar.com.br

VOLTAR