PNEUAÇO

QUASE FLUTUANDO

Vários estudos realizados por entidades independentes, comprometidas com a melhoria da produtividade agrícola, no Brasil e no mundo, apontam que, quanto menor as pressões no interior de um pneu agrícola, melhores resultados agronômicos são obtidos e melhor é o desempenho das máquinas no campo.

Considerando que o pneu é o elo entre a máquina agrícola e o solo, podemos atribuir a ele uma série de compromissos relacionados com as performances dessa máquina e o seu impacto sobre a produtividade e a rentabilidade da lavoura. Desta forma, a decisão na escolha do pneu ideal para cada tipo de máquina, eixo e tipo de trabalho tem uma relação direta com os resultados obtidos em relação à produtividade no campo.

Por exemplo, o pneu de construção radial tem uma área de contato com o solo em até 30% a mais que um pneu de construção diagonal, nas mesmas condições de uso, de carga e dimensão do pneu.

Essa maior área de contato resulta em melhor distribuição da carga no solo e mais barras em contato com o solo. A construção radial permite também o uso de pressões menores comparativamente aos pneus diagonais. Mesmo entre os radiais se deve buscar os de menores pressões.

A banda de rodagem do pneu radial é estabilizada pela cinta de lonas existente no topo. Essas características aportam diversas vantagens no uso de pneus radiais em máquinas agrícolas, como veremos a seguir. Uma das mais importantes é a menor compactação do solo, que proporciona aumento da produtividade da lavoura e proteção ao solo quanto à erosão. Além disso, os pneus radiais possibilitam maior poder de tração, que proporciona melhor transferência da força motor ao solo. Esta combinação resulta em economia de combustível, aumento da velocidade ou redução de tempo de trabalho, uso de implementos maiores ou mais pesados, redução dos desgastes das partes mecânicas da máquina e diminuição do índice de patinagem.

Fonte: grupocultivar.com.br

VOLTAR